ITSM na prática: aplicações à segurança da informação

Adriano Martins Antonio

Adriano Martins Antonio

em 2 de março de 2021
ITSM na Prática

Fique ligado

​Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

ITSM na prática: aplicações à segurança da informação. Saiba como a ferramenta funciona e qual é a sua finalidade!

Uma das formas de aplicar ITSM na prática é conhecendo as ameaças à segurança e como lidar com elas. Este tipo de ferramenta, afinal, serve para melhorar a qualidade do serviço de TI, com sistemas que se adequem às necessidades da empresa.

Dito isso, não é difícil compreender que ITSM na prática pode ser aplicado à segurança com sucesso. Afinal, quantos boatos ou notícias de violação de dados não surgem por mês? Além disso, quantos ataques não ocorrem?

Como funciona o ITSM

Elemento divertido com um homem se-protegendo de ameacas virtuais ITSM
O modelo ITSM dispõe de um serviço de TI com maior eficácia e qualidade a fim de melhor protegê-lo

Antes de vermos como pode ser implementado o ITSM na prática da segurança da informação, é necessário explicar um pouco sobre este sistema. Esta sigla, aliás, vem do inglês IT Service Management – ou Gerenciamento de Serviços de TI, em português.

Este modelo de protocolo possui, como finalidade, oferecer um serviço de TI de maior eficiência e qualidade. Ele está ligado ao ITIL, uma vez que este é o framework mais reconhecido na utilização do ITSM.

Ou seja, ITSM, na prática, se trata de uma série de ferramentas, softwares e estratégias que estão ligadas à TI. Ele se constitui como uma estrutura de gerenciamento e depende da utilização eficaz de produtos, pessoas, processos e parceiros.

Neste caso, tratando da segurança da informação, ele tem seu modelo que pode ser aplicável. Então, é necessário ver como pode ser utilizado, como faremos agora.

A definição de modelagem de ameaças

Pois bem, agora chegou a hora de falar um pouco mais sobre a aplicabilidade do ITSM na prática da segurança da informação. Afinal, como implementá-lo nesta área?

Antes de tudo, lembre-se do que significa segurança da informação. Este conceito prioriza o controle do acesso à informação, como indica o nome, com valores como confidencialidade e integridade.

Já pensou se o seu site é atacado, os dados da sua empresa e de seus clientes roubados e em todas as consequências que isso pode gerar? Pois é, esta é uma dor de cabeça que todo mundo deseja evitar.

Por isso, é necessário aprender a defender com maior eficácia a sua empresa contra as possíveis ameaças à segurança. E aqui entra uma função do ITSM.

Isto porque na sua empresa e no seu gerenciamento é necessário, antes de tudo, compreender quem pode atacá-lo e como. Sabendo isso, você pode pensar, então, em quais defesas pode utilizar para reduzir as chances de violações de segurança.

Neste sentido, conceitos como o de modelagem de ameaças são relevantes, só que nem sempre recebem o valor que merecem. O que a sua empresa deve pensar, em resumo, é no seguinte:

  • Ativos críticos: tudo que a empresa possui, em especial o que tiver maior relevância;
  • Ameaças e vulnerabilidades: o que está em maior situação de vulnerabilidade e pode ser atacado;
  • Defesas: como impedir ou minimizar as chances de ataque externo.

ITSM na prática: implementando um conceito de ameaça

Homem com pé de cabra na mão se protegendo contra crime digital ITSM
Você deve saber que os ataques podem vir de onde menos se espera

Agora, chegou a hora de falar sobre ITSM na prática no sentido da criação e da implementação de um conceito de segurança. Este conceito deve lidar exatamente com o que discuti acima: alvos críticos, ameaças e vulnerabilidades e defesas.

Neste caso, é importante pensar em mais algumas questões. Em suma, elas são estas:

  • O que estou operando, construindo ou protegendo?
  • Quem pode me atacar e como pode me atacar?
  • Como o ataque pode ser benéfico ao invasor?
  • De que modo o ataque pode ser prejudicial à minha empresa ou cliente?
  • Como posso detectar, prevenir e responder às vulnerabilidades e ameaças?
  • Estou tendo sucesso nisto (prevenção, detecção e resposta)?

Leia também: Computadores na mesma rede ficam mais vulneráveis quando outros dispositivos já foram atacados?

Portanto, pense em etapas para produzir o modelo. Primeiramente, planeje e descubra o grau de ameaças, coletando informações relacionadas ao sistema e ao gerenciamento da empresa.

Depois, passe a construir fluxos de dados, informações, processos e controles para ajudar a construir o modelo de ameaça. Em seguida, então, coloque este modelo em prática nos diferentes times da empresa.

Avalie a modelagem de ameaças da sua empresa

Em conclusão do que foi dito sobre o ITSM na prática por aqui, é importante entender que a implementação deste modelo permite a criação de sistemas de modelagem de ameaças. Estes sistemas que ajudam na segurança da informação.

Uma vez que você foca nas vulnerabilidades e ameaças potenciais, auxilia as equipes de segurança no controle delas. Assim, você diminui o risco relacionado aos seus negócios.

Para se especializar ainda mais e aplicar o ITSM na prática da segurança de informações, não deixe de conferir nossos cursos.

Clicando aqui, por exemplo, você pode conferir os cursos relacionados ao ITSM.

E se acaso ficou alguma questão, deixe o seu ponto de vista aqui.

Nós, da PMG Academy, iremos te responder o mais breve. Não deixe de se inscrever também na Jornada Segurança Cibernética, que ocorre entre os dias 30/08 e 03/09. Um evento 100% online, gratuito e que vale certificado. Nele, você vai aprender todos os aspectos essenciais da segurança cibernética.

Por fim, não deixe de conferir o podcast do The Walking Tech. No episódio #24, o entrevistado foi Janilton Luz, que falou sobre o ITSM durante a pandemia. Para ouvir, clique aqui!

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Artigos Relacionados

Responses

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *