PRINCE2: Glossário Completo e Gratuito para Termos e Conceitos

PMG Academy

PMG Academy

em 1 de abril de 2015

Fique ligado

​Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Confuso com termos do PRINCE2? Quer saber o significado em segundos? A PMG Academy, fornecedora líder em cursos, exames e conteúdo para Gestão e ITSM, compilou esse glossário para você encontrar rapidamente o significado de termos do PRINCE2.

Se você está se preparando para a certificação, ou à procura de referência no trabalho ou estudo, o Glossário pode lhe ajudar bastante. Economize tempo e esforço. Veja os termos abaixo:

·       Agilômetro

O Agilometer é uma ferramenta que avalia o nível de risco associado ao uso do Agile em combinação com o PRINCE2. Isso permite que o PRINCE2 seja adaptado de forma a minimizar o nível de risco. O Agilômetro deve evoluir para atender às necessidades de cada organização.

·       Análise de Intervalo

Uma atividade que compara dois conjuntos de dados e identifica as diferenças. A análise de intervalo é comumente usada para comparar um conjunto de requisitos com a entrega real.

·       Análise de sensibilidade

Uma técnica para testar a robustez de um cálculo ou modelo, avaliando o impacto da variação da entrada, para refletir o risco de que o cálculo ou modelo não seja preciso.

·       Análise SWOT

Acrônimo de “pontos fortes, pontos fracos, oportunidades e ameaças”. Uma técnica para determinar fatores favoráveis e desfavoráveis em relação à mudança de negócios ou estado atual.

·       Aprendizado validado

A ideia de aprender através da utilização de experiências realizadas de uma forma científica: isto é, usando uma série de passos cuidadosamente desenhados e usando medidas para provar se a experiência foi bem sucedida ou não.

·       Autoridade de mudança

Uma pessoa ou grupo ao qual o comitê do projeto pode delegar responsabilidade pela consideração de solicitações de mudança ou especificações fora do padrão. A autoridade de mudança pode receber um orçamento de alteração e aprovar as alterações nesse orçamento.

·       Backlog

Uma lista de novos recursos para um produto. A lista pode ser composta de histórias de usuários que são estruturadas de uma maneira que descreve quem quer o recurso e por quê. É um termo genérico que pode ser definido em termos de lançamentos, sprints e produtos.

·       Baseado em fluxo

Isso evita o uso do trabalho de particionamento em timeboxes e gerencia o trabalho usando uma fila. O trabalho é então continuamente puxado para dentro do sistema (que pode ser um timebox de alto nível) e passa por vários estados de trabalho até que seja feito.

·       Baseline

Um nível de referência em relação ao qual uma entidade é monitorada e controlada.

·       Benefício

A melhoria mensurável resultante de um resultado percebido como uma vantagem por um ou mais stakeholders, e que contribui para um ou mais objetivos organizacionais.

·       Brainstorming

Uma técnica que ajuda uma equipe a gerar ideias. As ideias não são revisadas durante a sessão de brainstorming, mas em um estágio posterior. Brainstorming é freqüentemente usado pelo gerenciamento de problemas para identificar possíveis causas.

·       Burn Chart

Uma técnica para mostrar o progresso (por exemplo, com uma timebox) em que o trabalho é concluído e o trabalho ainda a ser feito é mostrado com uma ou mais linhas atualizadas regularmente / diariamente.

·       Business Case

A justificativa para uma atividade organizacional (estratégica, programa, projeto ou operacional) que normalmente contém custos, benefícios, riscos e prazos, e contra os quais a continuidade da viabilidade é testada

·       Classe de serviço

Categoria amplamente definida para diferentes tipos de trabalho. As classes influenciam as decisões de seleção, porque diferentes classes de serviço são tipicamente associadas a perfis de risco qualitativamente diferentes, especialmente no que diz respeito ao risco do cronograma e ao custo do atraso. Quatro classes genéricas de serviço são amplamente reconhecidas: “padrão”, “data fixa”, “Expedited” e “intangível”.

·       Comportamentos ágeis

Aqueles comportamentos que são vistos como tipificando o trabalho de uma forma ágil, por ex. ser colaborativo, auto-organizado, focado no cliente, empoderado, confiar sem culpar.

·       Contingência

Algo que é mantido em reserva, tipicamente para lidar com variações de tempo e custo, ou riscos. O PRINCE2 não defende o uso de contingência porque a estimativa de variações é gerenciada pelo estabelecimento de tolerâncias, e os riscos são gerenciados por meio de respostas de risco apropriadas (incluindo a resposta de fallback que é contingente ao risco que ocorre).

·       Critério de aceitação

Uma lista priorizada de critérios que o produto do projeto deve atender antes que o cliente o aceite, ou seja, definições mensuráveis dos atributos necessários para o conjunto de produtos serem aceitáveis para os principais stakeholders (definição do PRINCE2). Os critérios de aceitação são comumente usados em ágil para avaliar se uma história de usuário foi atendida

·       Critério de qualidade

Uma descrição da especificação de qualidade que o produto deve atender e as medidas de qualidade que serão aplicadas por aqueles que inspecionam o produto acabado.

·       Definição de “Preparado”

Um conjunto de critérios usado para determinar se um trabalho está pronto para ser iniciado.

·       Definição de “Pronto”

Um conjunto de critérios usado para determinar se um trabalho ou uma coleção de itens de trabalho foi concluído. Algo está “pronto” ou “não está pronto”.

·       Demo

Abreviação de “demonstração”, trata-se de um evento em que um produto ou produto intermediário, em qualquer estado de prontidão, é exibido para uma pessoa ou grupo (por exemplo, para um cliente) para obter feedback e mostrar progresso. O produto que é “demonstrado” pode ser estático (por exemplo, um design específico) ou dinâmico (por exemplo, um protótipo de trabalho).

·       Descrição do produto

Uma descrição dos critérios de finalidade, composição, derivação e qualidade de um produto. É produzido no momento do planejamento, o mais rápido possível, após a identificação do produto.

·       Descrição do produto do projeto

Um tipo especial de descrição do produto usado para obter o consentimento do usuário no escopo e nos requisitos do projeto, para definir as expectativas de qualidade do cliente e para definir os critérios de aceitação do projeto.

·       DevOps

Uma abordagem colaborativa entre o desenvolvimento e as operações destinadas a criar um produto ou serviço onde os dois tipos de trabalho e até mesmo as equipes se fundem ao máximo.

·       Dinâmica do time

As interações interpessoais entre os indivíduos em uma equipe. Isso se relaciona com a cultura e as atitudes das pessoas na equipe e precisa ser gerenciado com cuidado, pois pode ser uma força muito positiva e poderosa quando está funcionando bem, mas pode ser destrutivo quando se rompe.

·       Estratégia de gestão de riscos

Descreve os objetivos de aplicar o gerenciamento de riscos à atividade, o processo que será adotado, as funções e responsabilidades, os limites de risco, o momento das intervenções de gerenciamento de riscos, as entregas, as ferramentas e técnicas que serão usadas e os requisitos de relatórios. Também pode descrever como o processo será coordenado com outras atividades de gerenciamento.

·       Exceção

Uma situação em que pode ser previsto que haverá um desvio além dos níveis de tolerância acordados entre o gerente de projeto e o comitê de projeto (ou entre o comitê de projetos e o gerenciamento corporativo ou do programa).

·       Executivo

O único indivíduo com responsabilidade geral por garantir que um projeto atinja seus objetivos e forneça os benefícios projetados. Esse indivíduo deve garantir que o projeto mantenha o foco nos negócios, que tenha autoridade clara e que o trabalho, incluindo os riscos, seja gerenciado ativamente. O executivo é o presidente do comitê do projeto. Ele ou ela representa o cliente e é responsável pelo business case.

·       Experimento

Uma investigação sobre algo que é realizado em uma série de etapas específicas (que podem envolver pesquisa), a fim de provar ou refutar uma teoria ou idéia. Isso pode ser usado para validar uma ideia ou para tentar melhorar algo como o funcionamento de uma equipe.

·       Feature

Um termo genérico que é amplamente usado para descrever algo que um produto faz ou do jeito que faz alguma coisa. Um recurso pode ter qualquer nível de detalhe (por exemplo, é à prova d’água, faz um tom quando desligado) e pode se relacionar a um requisito específico, uma história de usuário ou épico. Outro termo similar é “função”.

·       Feliz! Triste ! Irritado!

Essa é uma técnica de feedback que pode ser usada por uma equipe em uma retrospectiva. Cada membro da equipe escreve uma ou mais notas adesivas e as coloca na coluna apropriada. Isso permite que todos saibam o que os deixou “felizes” durante a última timebox, o que os deixou “tristes” e até mesmo o fizeram “loucos”.

·       Garantia de Qualidade (QA)

Um processo independente, planejado e sistemático. A garantia de qualidade é usada para fornecer confiança de que as saídas correspondem aos critérios de qualidade definidos.

·       Garantia do projeto

As responsabilidades do comitê do projeto para assegurar-se de que o projeto está sendo conduzido corretamente. Cada um dos membros do comitê de projeto tem uma área específica de foco para a garantia do projeto, ou seja, garantia do negócio para o executivo, garantia do usuário para o (s) usuário (s) sênior (s) e garantia do fornecedor para o (s) fornecedor (es) sênior.

·       Gerenciar por exceção

Uma técnica pela qual as variações do plano que excedem um limite de controle predefinido são escaladas para ação – por exemplo, quando as despesas excederem o orçamento em 10%.

·       Gerente de projetos

A pessoa com autoridade e responsabilidade para gerenciar um projeto no dia a dia para entregar os produtos necessários dentro dos limites acordados pelo comitê do projeto.

·       Gerente do time

A pessoa responsável pela produção dos produtos, alocada pelo gerente do projeto (conforme definido em um pacote de trabalho) para uma qualidade, prazo e custo aceitáveis para o comitê do projeto. Este papel reporta e toma a direção do gerente de projeto. Se um gerente de equipe não for designado, o gerente de projeto assumirá as responsabilidades do papel de gerente de equipe.

·       Gestão da configuração

Atividades técnicas e administrativas relacionadas à criação, manutenção e mudanças controladas de configuração durante a vida do produto.

·       Gestão de projetos

O planejamento, delegação, monitoramento e controle de todos os aspectos do projeto, e a motivação dos envolvidos, para atingir os objetivos do projeto dentro das metas de desempenho esperadas para tempo, custo, qualidade, escopo, benefícios e riscos.

·       Gráfico Burndown

Um gráfico burndown é um gráfico de execução de trabalho dentro de timebox. Fornece aos times uma visão de progresso em relação à estimativa inicial para a execução do trabalho planejado. Veja também Burn Chart

·       Gráfico Burnup

Um gráfico burnup é um gráfico de execução do trabalho concluído, mostrando a cadência de entregas e crescente das demandas, no tempo. Veja também gravar gráfico.

·       Gráfico Gantt

Uma técnica comumente usada para planejar atividades de trabalho em relação ao tempo na forma de linhas horizontais ou barras mostrando quando as atividades começam e terminam. Isso pode ser usado para agendar dependências entre as atividades. É uma técnica mais aplicável ao contexto do gerenciamento de projetos do que à entrega ágil.

·       História de usuário

Uma ferramenta usada para escrever um requisito na forma de quem, o quê e por quê. É uma forma mais simples e amigável de descrever features e requisitos em geral, fornecendo a times e áreas de negócio uma linguagem comum.

·       Horizonte de planejamento

O período de tempo para o qual é possível planejar com precisão

·       Issue

Um evento relevante que aconteceu, porém não foi planejado e requer ação de gerenciamento. Pode ser um problema, benefício, consulta, preocupação, solicitação de mudança ou risco que ocorreu.

·       Item de configuração

Uma entidade (ativo) que está sujeita ao gerenciamento de configuração. A entidade (ativo) pode ser um componente de um produto, um produto ou um conjunto de produtos em uma release.

·       Item do backlog

Uma entrada em um backlog. Isso pode estar na forma de uma história do usuário ou tarefa e pode ser mantido em várias formas, como em uma planilha ou exibido em um quadro branco.

·       Método Waterfall

Uma abordagem de desenvolvimento linear e sequencial, com objetivos distintos para cada fase de desenvolvimento. Uma vez concluída a fase de desenvolvimento, o desenvolvimento prossegue para a fase seguinte e as fases anteriores não são revisitadas (daí a analogia de que a água que flui por uma montanha não pode voltar).

·       MoSCoW

Essa técnica é usada para categorizar itens como requisitos ou tarefas em um dos quatro níveis seguintes de como eles se relacionam com um prazo:
> Precisa ter
> Deveria ter
> Poderia ter
> Não terá por enquanto.

·       Nível de qualidade

O nível de qualidade geral de um produto, conforme definido pela descrição do produto do projeto (expectativas de qualidade do cliente e critérios de aceitação).

·       Pacote de trabalho

O conjunto de informações relevantes para a criação de um ou mais produtos. Ele conterá uma descrição do trabalho, a (s) descrição (ões) do produto, detalhes de quaisquer restrições na produção e confirmação do acordo entre o gerente de projeto e a pessoa ou gerente da equipe que implementará o pacote de trabalho que o trabalho pode ser. feito dentro das restrições.

·       Pioneiro

Um termo dado a um cliente que é um dos primeiros a comprar ou usar um produto. Eles normalmente podem gostar de produtos inovadores e, portanto, podem esperar pagar mais por eles, embora esses produtos possam não estar em um nível de qualidade que os clientes posteriores receberão. Esse tipo de cliente é muito útil para o feedback inicial do produto.

·       Plan-Do-Check-Act (PDCA)

Um ciclo de quatro estágios para o gerenciamento de processos, atribuído a W. Edwards Deming. Plan-Do-Check-Act também é chamado de Ciclo de Deming. Planejar – projetar ou revisar processos que suportem os serviços de TI; Executar – implementar o plano e gerenciar os processos; Verificar – meça os processos e serviços de TI, compare com os objetivos e produza relatórios; Agir – planejar e implementar mudanças para melhorar os processos

·       Planejamento baseado no produto

Uma técnica que leva a um plano abrangente com base na criação e entrega dos resultados necessários. A técnica considera produtos de pré-requisito, requisitos de qualidade e as dependências entre produtos.

·       Plano de projeto

Um plano de alto nível mostrando os principais produtos do projeto, quando eles serão entregues e a que custo. Um plano de projeto inicial é apresentado como parte da documentação de iniciação do projeto. Isso é revisado à medida que as informações sobre o progresso real aparecem. É um documento de controle importante para o comitê do projeto medir o progresso real em relação às expectativas.

·       Plano de revisão de benefício

Um plano que define como e quando uma medição da realização dos benefícios do projeto pode ser feita. Se o projeto estiver sendo gerenciado dentro de um programa, essas informações podem ser criadas e mantidas no nível do programa.

·       Plano do estágio

Um plano detalhado usado como base para o controle de gerenciamento do projeto ao longo de um estágio

·       Planos ágeis

recursos) e sua ordem e suas dependências, e provavelmente foram criados de forma colaborativa por aqueles que realizarão o trabalho planejado. Os planos ágeis tendem a ser informais ou de baixa tecnologia no nível da equipe de entrega, e isso pode ser altamente eficaz, mesmo que eles não sejam mais do que listas de tarefas ou pendências. O planejamento baseado em produtos ainda pode ser usado em todos os níveis do projeto (incluindo a entrega do produto)

·       Product Owner

A função atribuída ao gerenciamento do backlog do produto para obter o máximo valor dele, ordenando e priorizando-o.

·       Produto Mínimo Viável (MVP)

Em um contexto do PRINCE2 Agile, o termo MVP alinha amplamente com a visão Lean Start-up de que é uma “versão do produto final que permite o máximo de aprendizado validado com o mínimo de esforço”. Isso não deve ser confundido com a viabilidade do projeto como um todo. Normalmente, um MVP seria entregue o mais cedo possível durante o projeto.
É importante notar que um MVP é sobre aprendizado e pode não entrar em uso operacional; pode ser na forma de um simples experimento ou protótipo.

·       Programa

Várias atividades ou projetos planejados e gerenciados juntos, muitas vezes focando no mesmo objetivo.

·       Projeto

Uma organização temporária criada com a finalidade de entregar um ou mais produtos de negócio de acordo com um caso de negócios acordado.

·       Protótipo

Algo criado para ajudar a provar ou refutar uma ideia ou para ajudar a melhorar o entendimento geral de uma situação (por exemplo, as necessidades do cliente). Pode ser algo que evolua para um produto real ou seja descartado.

·       Quadro kanban

Uma ferramenta usada no Kanban para exibir visualmente o trabalho no sistema (ou timebox). Geralmente, ela é composta de uma série de colunas e possivelmente de linhas nas quais os itens de trabalho se movem da esquerda para a direita à medida que se movem por vários estados para serem concluídos.

·       RACI

Um modelo usado para ajudar a definir papéis e responsabilidades. RACI significa responsável, prestador de contas, consultado e informado.

·       Radiador de informação

Um termo geral usado para descrever o uso de paredes ou quadros contendo informações que podem ser prontamente acessadas por pessoas trabalhando no projeto. Ele pode conter qualquer informação, embora normalmente mostre coisas como trabalho a fazer e como o trabalho está progredindo.

·       Registro de item de configuração

Um registro que descreve o status, a versão e a variação de um item de configuração e quaiquer detalhes importantes sobre a relação entre eles.

·       Registro de risco

Um registro de todos os riscos identificados relacionados a uma iniciativa, incluindo seu status e histórico. Também chamado de log de risco.

·       Relatório de highlights

Um relatório baseado no tempo, vindo do gerente de projeto para o comitê do projeto sobre o progresso do estágio.

·       Relatório de lições

Um relatório que documenta todas as lições que podem ser aplicadas a outros projetos. O objetivo do relatório é provocar ações para que as lições positivas de um projeto sejam incorporadas ao modo de trabalho da organização e a organização possa evitar as lições negativas em projetos futuros.

·       Relatório de verificação

Um relatório de progresso das informações reunidas em um ponto de verificação, que é fornecido por uma equipe ao gerente de projeto e que fornece dados de relatório conforme definido no pacote de trabalho.

·       Release (liberação / Lançamento)

O conjunto de produtos em uma entrega. O conteúdo de uma versão é gerenciado, testado e implementado como uma única entidade. No PRINCE2 Agile, um release é normalmente um contêiner para mais de um timebox de baixo nível (por exemplo, um sprint). No entanto, este não é necessariamente o caso, pois o ato de liberar recursos em uso operacional pode acontecer com mais regularidade (por exemplo, após cada sprint ou várias vezes durante um sprint).

·       Requisito

Um termo para descrever o que um produto faz e / ou como ele fará isso. Um requisito pode ser escrito na forma de uma história de usuário, se desejado, e existirá com outros requisitos na forma de uma lista.

·       Restrição

Uma restrição ou limitação à qual o projeto deve seguir. Pode ser desafiada durante um estudo de MoV.

·       Resumo do projeto

Declaração que descreve os requisitos de finalidade, custo, tempo e desempenho e as restrições de um projeto. Ele é criado antes do projeto durante o processo Starting up a Project e é usado durante o processo Initiating a Project para criar a documentação de iniciação do projeto e seus componentes. É substituído pela documentação de iniciação do projeto e não é mantido.

·       Retrospectiva

Um evento regular que analisa como o processo de trabalho pode ser melhorado. De acordo com o conceito ágil de “inspecionar e adaptar”, esses eventos ajudam as equipes a melhorar continuamente suas práticas de trabalho, pouco a pouco, com o tempo.

·       Reunião Stand-up

Uma breve reunião para avaliar o progresso. Normalmente com duração de 15 minutos ou menos, eles envolvem descrever o trabalho que foi feito, será feito e quaisquer problemas encontrados.

·       Risco

Um evento incerto ou conjunto de eventos que, caso ocorra, afetará o alcance dos objetivos.
Um risco é medido por uma combinação da probabilidade de ocorrência de uma ameaça ou oportunidade percebida e a magnitude de seu impacto nos objetivos.

·       Roadmap do produto

Um diagrama ou documento que mostra o caminho de desenvolvimento pretendido para um produto. Isso normalmente seria um plano de longo prazo que pode cobrir vários meses, se não anos. Ele existe fora do contexto do projeto, mas pode ser usado para acionar o trabalho do projeto.

·       SAFe( Scaled Agile Framework)

Aplicação em larga escala de agilidade em toda a organização.

·       Safe-to-fail (erro seguro)

Um experimento seguro para falha é aquele projetado para ter impacto limitado no sistema ou no plano em caso de falha.

·       Scrum

Uma abordagem iterativa de tempo limitado para a entrega de produtos, descrita como “uma estrutura na qual as pessoas podem abordar problemas adaptativos complexos, ao mesmo tempo em que oferecem de maneira produtiva e criativa produtos do mais alto valor possível”

·       Scrum Master

Este é um papel do Scrum que é responsável por garantir que o Scrum seja compreendido e encenado e que o Time Scrum possa aderir à teoria, práticas e regras do Scrum.

·       Scrumban

A aplicação do Kanban ou do método Kanban no contexto de uma implementação existente do Scrum.

·       Sistema empurrado

O ato de colocar o trabalho em um sistema ou atividade sem a devida atenção à sua capacidade disponível. Veja também Sistema puxado.

·       Sistema Kanban

Um “pull system” implementado limitando o número de Kanban (cartões) em circulação.

·       Sistema puxado

Uma maneira de trabalhar em que o trabalho é iniciado ou “puxado” do montante, mas apenas quando a capacidade se torna disponível. Os sistemas Kanban são sistemas puxados. A disponibilidade de capacidade e a capacidade de puxar o trabalho são indicadas pela lacuna entre o trabalho atual em andamento e o limite correspondente. Veja também sistema empurrado.

·       Spike ou Spiking

Um trabalho temporário usado para entender mais sobre uma determinada situação. Pode assumir a forma de um protótipo ou alguma pesquisa e é frequentemente usado para reduzir a incerteza do ponto de vista técnico ou do cliente. As experiências são semelhantes.

·       Sprint

Um prazo fixo (normalmente de 2 a 4 semanas) para criar features selecionados do backlog

·       Sprint zero

A specific sprint at the beginning of a piece of work in order to address many upfront activities (e.g. forming a team, visioning, defining the architecture). Also referred to as iteration zero or (the) discovery (phase).

·       Suporte do projeto

Uma função administrativa na equipe de gerenciamento de projetos. O suporte do projeto pode ser na forma de aconselhamento e ajuda com ferramentas de gerenciamento de projetos, orientação, serviços administrativos, como arquivamento, e a coleta de dados reais.

·       Técnica de revisão de qualidade

Uma técnica de inspeção de qualidade com funções definidas e uma estrutura específica. Ele é projetado para avaliar se um produto que assume a forma de um documento (ou similar, por exemplo, uma apresentação) é completo, adere aos padrões e atende aos critérios de qualidade acordados para ele na descrição do produto relevante. Os participantes são escolhidos dentre aqueles com a competência necessária para avaliar sua adequação à finalidade.

·       Time-box

Um período finito de tempo em que o trabalho é realizado para atingir uma meta ou atingir um objetivo. O prazo não deve ser movido, pois o método de gerenciar um timebox é priorizar o trabalho dentro dele. Em um nível baixo, um timeboxes será uma questão de dias ou semanas (por exemplo, um sprint). Timebox de alto nível funcionam como timeboxes agregadas e contêm timeboxes de nível inferior (por exemplo, estágios).

·       Tolerância

O desvio permitido acima e abaixo da meta de um plano para tempo e custo sem escalar o desvio para o próximo nível de gerenciamento. Também pode haver níveis de tolerância para qualidade, escopo, benefício e risco.
A tolerância é aplicada nos níveis de projeto, estágio e equipe.

·       Tolerância de qualidade

A tolerância identificada para um produto para um critério de qualidade que define um intervalo aceitável de valores. A tolerância de qualidade está documentada na descrição do produto do projeto (para a tolerância de qualidade no nível do projeto) e na descrição do produto para cada produto a ser entregue.

·       Trabalho em progresso / andamento (WIP)

Trabalho que foi iniciado mas ainda não foi entregue no sistema ou no timebox. Também pode indicar o status de incidentes, problemas, alterações, etc.

·       Transparência

Um comportamento ágil fundamental que envolve tornar tantas coisas e informações visíveis quanto possível, a fim de ajudar a maneira como as pessoas trabalham. Isso pode envolver a exibição de progresso em uma parede ou a entrega freqüente de produtos. É importante ressaltar que a transparência também abrange áreas como abertura e honestidade.

·       Troca ou negociação

O ato de lidar com a mudança substituindo um ou mais requisitos (ou recursos ou histórias do usuário) por outros de tamanho semelhante em termos de esforço

·       Usuário senior

Uma função do comitê de projeto responsável por garantir que as necessidades do usuário sejam especificadas corretamente e que a solução atenda a essas necessidades.

·       Valor

Os benefícios entregues em proporção aos recursos colocados em adquiri-los.

·       Velocidade

Uma descrição da taxa de progresso que uma equipe está fazendo. Por exemplo, se uma equipe está completando 20 histórias de usuários por semana, então esta é a velocidade delas e pode ser usada para prever empiricamente sua futura taxa de progresso (supondo que as condições permaneçam as mesmas).

·       Visão

A declaração de um estado futuro desejado (ver também visionando).

·       Visionando

Um exercício ou fase que visa entender o objetivo abrangente de algo (por exemplo, um projeto). Ele tentaria responder a perguntas como: Por que esse trabalho está acontecendo? para quem é isso? O que poderia parecer? Veja também o início do projeto.

·       Workshop / oficina

Um evento em que as pessoas se reúnem em uma sala para alcançar um objetivo (por exemplo, criar uma lista de requisitos ou resolver um problema) usando interação e criatividade para trabalhar com rapidez e precisão.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Artigos Relacionados

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Você voltou! 😊 Expirado!
00 Days
00 Hrs
00 Mins
00 Secs
Aproveite agora o desconto de 10%! Essa é a sua última chance! Resgatar Agora!

×

Olá Visitante! 😊 Você têm: Expirado!
00 Days
00 Hrs
00 Mins
00 Secs
para aproveitar o desconto de 15% (apenas nos cursos) Resgatar Agora!

@

Não ativo recentemente
X
X
X