Top 5 mitos sobre as certificações de TI

Adriano Martins Antonio

Adriano Martins Antonio

em 2 de abril de 2020
Top 5 Mitos Sobre as Certificações de TI

Fique ligado

​Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Top 5 mitos sobre as certificações de TI. Saiba o que cada um esconde de interessante!

Se você está na área de Tecnologia da Informação, então está habituado(a) com o mercado de certificações. Alguns podem questionar a necessidade da certificação para os profissionais de TI ou consultores.

Mas, nós cremos que existe um valor distinto nos profissionais certificados. Alguém aí arrisca dizer mitos sobre as certificações de TI e outros fatos que têm relação a isso? Em suma, é o que estamos perto de ver.

É que algumas pessoas seguem um roteiro planejado de certificações todos os anos; outras insistem que elas não acrescentam valor real para a profissão. Por isso, este artigo tem como objetivo discutir os “5 mitos ​​sobre as Certificações de TI ” que escutamos com maior frequência.

Mito 1: Certificação Não Mede Habilidades “Práticas”

Muita gente fala isso. Mas, não se engane! Pois, os institutos têm feito grandes avanços nos testes de conhecimento do “mundo real” em seus exames. Por exemplo, muitos exames de certificação da Axelos, Exin e Isaca, agora contêm simulações robustas que imitam ambientes reais.

Se você não consegue interpretá-los no teste com mais clareza, a verdade é que você não vai passar. Isso é essencial porque a tecnologia muda muito rápido.

Dessa forma, a certificação é um “selo de aprovação” específica do instituto que a concede, para garantir aos profissionais que eles estão no topo da tecnologia e das mudanças. Os profissionais de TI, muitas vezes, procuram a certificação em suas aptidões especificas para criar uma especialização mais aprofundada.

Leia também: Carreiras e Certificações em Gerenciamento de Serviços de TI.

Mito 2: O Ciclo de Vida de Certificação é Curta

Este mito é uma crítica disfarçada. É verdade que os fornecedores podem “rever, reformar ou refazer por inteira uma certificação, muitas vezes, se faz da forma como eles bem quiserem”. Porém, este é um ponto positivo, já que mantém as certificações da indústria “up-to-date” (atualizadas) com as tecnologias emergentes e aplicações realistas.

Os avanços tecnológicos ocorrem em um ritmo muito rápido a cada dia. Embora possa ser inconveniente, às vezes, as empresas não irão contratar alguém cuja experiência comprovada, mais recente, é de cinco anos atrás; quando eles podem contratar quem tem uma certificação atualizada e de acordo com a tecnologia mais recente.

Se você tem interesse na Área de Governança de TI, este é o artigo certo para você: Carreiras e Certificações na Área de Governança de TI.

Mito 3: Certificações Foram Desvalorizadas

Aluno fazendo exame online e com certeza de que não h a mitos sobre as certificações
As certificações são meios que se abrem e validam o grau do saber de uma pessoa

Desvalorizadas por quem? Pois é, tal boato ainda corre por aí! Este mito pode ser contestado por provas de que os salários de pessoas certificadas continua a subir a cada ano. A 12ª pesquisa anual-salário, da Redmond Revista, revelou uma crescente nos salários de pessoas com várias certificações.

Da mesma forma, uma “Internetworking Pesquisa Salarial”, feita pelo TCPMag.com, mostra que as médias salariais para todas as certificações subiram de 2009 a 2012. Na verdade, mais de 39% das pessoas entrevistadas falaram que “o fator que teria o maior impacto para melhorar o seu salário atual era a obtenção de uma nova certificação”.

Leia também: Mulheres conquistam espaço no mercado de TI.

Mito 4: Faculdade vs Certificação vs Experiência

Haverá sempre essa tensão no mercado sobre o valor e o desejo de uma graduação em relação ao desejo de uma certificação versus a da experiência. Todas as coisas são iguais, agora é provável que em um ambiente de trabalho competitivo, o empregador escolha o requerente titular de uma certificação como desempate.

Porque, em muitos casos, duas pessoas com a mesma graduação e nível de experiência, que se aplicam para o mesmo trabalho, podem ter como critério “diferenciador” a certificação que um deles possui. Portanto, as certificações mostram não só um nível mais profundo de conhecimento em uma determinada área, mas a iniciativa real do profissional.

Então, qual a melhor maneira de completar uma educação do que com a aquisição de múltiplas habilidades? Esta prática oferece uma experiência de aprendizagem e uma sólida base de conhecimento.

É por isso que a obtenção de mais de uma certificação é tão importante. E se não mais importante, do que apenas graduações. Certificações reforçam o grau de especialização que um profissional dispõe, a fim de gerar valor

Mito 5: Nunca Se Sabe Quantas Certificações São Suficientes

O mito afirma que ninguém sabe quantas certificações você precisa para ser bem sucedido ou quais as certificações que hoje têm mais valor.

Na realidade, o que nós sabemos é que a posse de uma certificação nunca é uma má ideia. Apesar do número ou assunto, construir conhecimento nunca é um risco. Ou, nunca é de menos, certo?

A certificação é como um ponto de exclamação no final de uma frase, ela adiciona ênfase. É um forte reconhecimento que carimba uma iniciativa, movimentação, conhecimento e habilidade. Ela é um diferencial para as chances de trabalho, promoções e outros ambientes competitivos. Esta é a avaliação de certificação que importa na real.

Conclusão

Então, para combater os céticos: a certificação é um benefício? A resposta é “certamente”, não só para o profissional que recebe o certificado, mas para a empresa que o emprega e para os usuários de TI que ele atende.

Bom, chegamos ao fim! Espero ter contribuído para esclarecer suas dúvidas a respeito dos principais mitos das certificações de TI.

Enfim, se você quiser deixar a sua opinião, fique à vontade. Pois, eu quero saber qual é!

E se acaso, ficou alguma questão te sondando, não hesite em nos perguntar.

Pois, logo após, nós, da PMG Academy, vamos te responder o mais breve. Até mais!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Artigos Relacionados

Uma resposta

  1. A avalição feita é, ao meu ver, relativamente tendenciosa. Não tratou do tema com foco na certificação, que é evidente que sempre bom tê-las. No ponto de vista do mercado, temos algumas ponderações: Mito 1 – Certificações não medem práticas. “Simulações robustas” é um conceito vago. quando se fala em prática, se fala em prática de campo. A “ralação para implementar um processo de gestão de configuração, incidente e problema” em um ou dois clientes, com problemas de recursos, pessoas e tecnologia. Aí é “prática” Cases simulados em provas de certificação acabam sendo apresentados para dizer que a prova tem prática…. Mito 2. Ciclo de vida é curta. Verdade, é curta, pois tecnologia muda. Fato. Mas o negócio da certificadora é vender certificação, mais NADA. E se possível com maior nível possível de “fechamento de mercado”. Só ver o absurdo que a AEXLOS fez com a ITIL. Só pode dar o curso se incluir prova. E se incluir prova tem de ser oficial da AXELOS e pagar, pagar, pagar. Travou a ITIL no Brasil. Agora, o mercado vai para ISO 20.000, VeriSM e ITIL 3/2011, que atende muito bem as demandas de gestão de serviços de mais de 90% das organizações. Mito 3. A redmon revista, obtida em https://redmondmag.com/Home.aspx é : Pasmem !!!! Independent voice da comunidade MICROSOT. AMERICANA. Não vi comentários de certificações pagarem mais remuneração no BRASIL. A certificação, hoje, ao meu ver é requisito para “peneirar” seleção de candidatos. Os anúncios pendem Certificação ou Desejável certificação para “coar” candidato. Não vi, perdoem minha ignorância, estudo independente no Brasil que sustente este argumento. E venhamos, sustentar ele com argumentação americana…
    Mito 4. Covardia. Comparar universidades brasileiras com certificação. A certificação está no estado da arte, já a universidade…. Mito 5. CONCORDO em gênero, numero e grau.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *