A biometria como ferramenta de cibersegurança

Adriano Martins Antonio

Adriano Martins Antonio

em 19 de maio de 2022

Fique ligado

​Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

A biometria está crescendo como uma avançada camada para muitos sistemas de segurança pessoal e empresarial. Embora pareça infalível, a identidade biométrica se tornou cautelosa quanto ao seu uso como autenticação autônoma. 

Claro, a cibersegurança moderna está focada em reduzir os riscos para esta poderosa solução de segurança, afinal as senhas tradicionais têm sido um ponto fraco para os sistemas de segurança. 

Logo, a biometria visa responder essa questão vinculando a prova de identidade aos nossos corpos e padrões de comportamento. 

Dessa forma, vamos entender o que é biometria, tipos existentes, os prós e contras da biometria e como podemos torná-la mais segura. 

O que é Biometria?

Primeiramente, podemos definir a biometria como a análise de características biológicas e fisiológicas únicas com o objetivo de confirmar a identidade de uma pessoa.

De modo geral, existem dois tipos de sistemas biométricos: a biometria física e a biometria comportamental.

  • Biometria física: os dados biométricos de um indivíduo são armazenados em um banco de dados com a ajuda de dispositivos especiais, como scanners, sensores e outros leitores.

O sistema salva essas informações, como uma impressão digital, e as converte em dados digitais. 

Assim, quando se coloca o dedo de volta no scanner, por exemplo, o sistema compara os novos dados com o que está armazenado em seu banco de dados, confirmando a identidade da pessoa ou não.

Os exemplos mais comuns são a digitalização de impressão digital, reconhecimento por íris e reconhecimento facial.

  • Biometria comportamental: é um sistema de reconhecimento que identifica um indivíduo com base em características dinâmicas ou comportamentais.

Nesse caso, tais características podem incluir dinâmicas de caligrafia e assinatura, ritmos de voz e fala, reconhecimento de gestos ,entre outros.

Aqui, os mais comuns são o reconhecimento por voz e pela caligrafia.

Chamado de biometria passiva, pois não exige a participação ativa do usuário, esses métodos avaliam o comportamento único de uma pessoa e os movimentos subconscientes no processo de reprodução de qualquer ação.

Como a segurança biométrica funciona

A identificação biométrica tem um papel crescente na segurança diária de pessoas comuns, mas também de organizações. 

Aliás, uma vez que obtemos e mapeamos os dados biométricos, eles são salvos para serem combinados com futuras tentativas de acesso. Na maioria das vezes, esses dados são criptografados e armazenados no dispositivo ou em um servidor remoto.

Em resumo, a segurança biométrica significa que seu corpo se torna a “chave” para desbloquear seu acesso.

Como principal benefício está a comodidade de uso da biometria. Ela está sempre com você. Não é possível perdê-la e nem esquecê-la. Além disso, é bem difícil roubá-la, como uma senha ou chave, não é?

Na prática, muitos setores já usam a segurança biométrica. Um deles é o bancário, que usa a biometria no sistema com reforço de autenticação em duas etapas, assim evitando o phishing (uma das formas mais comuns de fraude online).

Dessa maneira, mesmo que os cibercriminosos tenham dados sobre uma possível vítima, a identificação de elementos biométricos impediria tal personificação.

Nas empresas, o uso da identificação biométrica fornece maior nível de proteção ao sistema, autorizando (ou não) a passagem de usuários por meio de acionamento de catracas, cancelas, portas, entre outros, além de ser frequentemente usada no controle de ponto dos funcionários.

Uma outra aplicação muito importante da biometria é a capacidade de proteger os dados armazenados na nuvem. Para isso, a utilização de Big Data, juntamente com programas de análise de dados, Inteligência Artificial e machine learning, são fundamentais. 

Isso porque, por um lado, eles lidam com grandes quantidades de dados e, por outro lado, permitem que os sistemas de segurança aprendam e melhorem, para poder determinar parâmetros para diferentes circunstâncias, como, por exemplo, se forem usados óculos, de forma cada vez mais precisa.

Conclusão

Com a pandemia de COVID-19, houve um aumento na procura por soluções tecnológicas seguras para os negócios e uma das recomendações foi justamente a biometria. Obviamente, esse método não é perfeito, mas oferece muitas promessas de segurança cibernética.

Leia sobre os riscos do trabalho remoto para a Segurança Cibernética.

Como dito anteriormente, não há como esquecer, perder ou roubar as características biométricas, ao contrário de cartões de segurança ou senha.

Embora a implantação desse tipo de sistema de segurança possa ter um alto custo inicial, sua manutenção não é onerosa. 

Sua empresa deve ter em mente que a biometria é uma poderosa ferramenta de segurança. A proteção combinada de suas assinaturas físicas ou comportamentais com outras autenticações oferece uma das mais fortes seguranças conhecidas.

O acesso não autorizado se torna mais difícil quando os sistemas exigem vários meios de autenticação. Sabendo disso, você pode considerar o que for mais adequado para sua empresa e aplicar tais conhecimentos para todos.

Então, sua organização já faz uso da biometria como forma de segurança cibernética? Leia mais textos no blog para entender como proteger ainda mais sua empresa.

Facebook
Twitter
LinkedIn

Artigos Relacionados

Responses

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Termina em: Expired!
00 Days
00 Hrs
00 Mins
00 Secs
O Black Friday foi Estendido! 🔥🔥 Quero Aproveitar