Saiba qual segmento lidera a adoção da Governança de TI no Brasil

PMG Academy

PMG Academy

em 8 de abril de 2015

Fique ligado

​Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

A governança de TI passa pela criação de uma cultura organizacional de consciência sobre os riscos que as empresas correm.

“É preciso dizer que os riscos existem na organização e mostrar o papel de cada indivíduo para mitigar estes riscos”, explicou Michele Sperle, diretora de vendas da RSA para Américas, durante sua apresentação no Ciab 2014, evento de tecnologia bancária que no ano passado, em São Paulo.

De acordo com a especialista, a instauração de uma cultura de responsabilidade permite às empresas identificarem melhor os riscos em potencial e tomar decisões inteligentes.

No entanto, para que isto ocorra, os gestores de tecnologia e de negócio precisam trabalhar em parceria.

“Em geral, a TI não se comunica bem junto aos gestores de negócio”, atestou Ricardo Pereira Águia, superintendente-executivo de TI do Bradesco, durante o painel. Para ele, a solução está no desenvolvimento de uma dinâmica de mensuração e de comunicação contínua do desempenho e do valor da TI.

No Bradesco, isto se traduziu em um projeto que estruturou a comunicação da área de tecnologia com as demais unidades do banco.

A primeira etapa consistiu na definição dos papeis e do modelo de contribuição da TI na organização, para identificar o que o negócio esperava que a TI entregasse.

A fase seguinte tratou da definição dos atributos do valor da TI sob a ótica de seus clientes internos e usuários.

E a terceira e última etapa estabeleceu regras de cálculo da apuração do valor da TI.

A exemplo do Bradesco, Michele Sperle disse que os bancos estão avançados na adoção de mecanismos para a governança de TI.

Em entrevista exclusiva à CDTV, do Portal Convergência Digital, a executiva destacou que, ainda que as empresas brasileiras, de maneira geral, tenham começado tarde a implantar governança de TI, elas seguem em ritmo bastante acelerado e devem equiparar seus níveis de maturidade com companhias de mercados maduros dentro de 18 a 36 meses.

Leia a entrevista e a matéria original no Portal Convergência Digital.


Veja também, Cobit 5: Fatores que Indicam problemas na Governança de TI

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Artigos Relacionados

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

@

Não ativo recentemente