Na Prática: PRINCE2

Adriano Martins Antonio

Adriano Martins Antonio

em 30 de abril de 2015

Fique ligado

​Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

O Prince2® – PRojects IN Controlled Environments (Projetos em ambientes controlados) aborda os processos de gerenciamento de projetos.

Ele fornece um método facilmente adaptável e escalável para a gestão de quaisquer tipos de projetos.

Se precisar saber como gerenciar projetos, trabalhar em um ambiente de projeto, saber como verificar se os membros da equipe estão se concentrando na viabilidade do projeto em relação aos objetivos de seus casos de negócios, ao invés de simplesmente ver a conclusão do projeto, utilize o Prince2.

O Prince2 ajuda a promover a consistência do trabalho e a capacidade de reutilizar os ativos do projeto. Isso facilita a mobilidade pessoal e reduz o impacto de alterações e a transferência de pessoal e, dessa forma, atenua os problemas.

Se sua TI precisa se beneficiar de uma abordagem e de uma linguagem compartilhada que economize tempo e esforço e que seja totalmente compreendida para gerar relatórios, saiba que, para aumentar a conscientização dos funcionários em relação às suas funções e responsabilidades no ciclo de vida de um gerenciamento de projetos, você pode utilizar Prince2.

Este framework tem como benefício ser utilizado como uma valiosa ferramenta de diagnósticos, facilitando não só a garantia e a avaliação do trabalho de projeto, mas também a solução de problemas e de auditorias.

O Prince2 auxilia na verificação se as partes interessadas (incluindo os patrocinadores e os provedores de recursos) estão representadas corretamente no planejamento e na tomada de decisão, permitindo um compromisso mais efetivo das partes interessadas no processo de aprovação e no gerenciamento de projetos.

Processos e Técnicas do Prince2

O Prince2 oferece um conjunto de processos que fornecem um ponto de partida controlado, o progresso controlado e um fechamento controlado para qualquer projeto, porém, quando executado, terá que lidar com cada um desses processos de alguma forma. No entanto, a chave para o sucesso do uso deste modelo de processo é adaptá-lo para as necessidades do projeto individual.

Cada processo deve ser abordado com a pergunta “Como o rigor do processo deve ser aplicado neste projeto?”.

Os processos são:

• Criar um projeto (SU);

• Iniciar um projeto (IP);

• Dirigir um projeto (DP);

• Controlar um estágio (CS);

• Gerenciamento da entrega do produto (MP);

• Gerenciamento dos limites dos estágios (SB);

• Fechamento de um projeto (CP);

• Planejamento (PL).

O Prince2 oferece ainda três técnicas. A utilização da maior parte delas é opcional.

• Planejamento baseado em produto;

• Técnica de análise de qualidade;

• Técnica de controle de mudanças.

O Prince2 tem oito componentes para explicar a sua filosofia sobre vários aspectos do projeto, como organização, riscos e planos, incluindo:

• Business Case;

• Organização;

• Planos;

• Controles;

• Gestão de riscos;

• Qualidade em um ambiente de projeto;

• Gestão de configuração;

• Controle de mudança.

Esse framework consiste em oito processos e três técnicas. Os processos explicam o que deve acontecer, quando deve acontecer e qual a função de cada componente.

A chave para o sucesso no uso do modelo de processos é encaixar as necessidades individuais de cada projeto.

Até a próxima, Forte abraço!


Gostou do Conteúdo, continue lendo:

PRINCE2: Glossário Completo e Gratuito para Termos e Conceitos

Descubra os novos pre-requisitos para ser PRINCE2 Practitioner

Acesse nossa loja virtual para exames e cursos para Certificações de TI


Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Artigos Relacionados

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

@

Não ativo recentemente