CobiT e outros frameworks de Governança de TI

Adriano Martins Antonio

Adriano Martins Antonio

em 24 de fevereiro de 2015
CobiT e outros frameworks

Fique ligado

​Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

CobiT e outros frameworks de Governança de TI. E saiba um pouco mais sobre eles!

Em 2007, a ISACA demonstrou o Escopo de Cobertura para o CobiT. E, conforme visto na imagem a seguir, é adequado até os dias de hoje. Então, fique ligado! Vamos ver mais sobre o CobiT e outros frameworks de Governança de TI.

Aqui, vamos mostrar uma visão distinta, em alto nível. É normal para o CobiT ser usado em conjunto com outras melhores práticas, padrões e orientação desenvolvida internamente na empresa.

O CobiT pode servir como um guarda chuva cobrindo o framework para qualquer outro.

É focado no que julga necessário para alcançar a gerenciamento e controle de uma adequada TI. Por isso, ele tem um alinhamento harmonizado com outros padrões e boas práticas de TI.

Atua como um integrador desses diferentes guias, resumindo os principais objetivos sob uma estrutura de guarda-chuva, que também liga à requisitos de governança e de negócios.

CobiT e outros frameworks imagem em desenho

Clique aqui e veja os nossos cursos e simulado. É grátis!

Em suma, se você quer saber um pouco mais sobre o CobiT 5, a fim de conhecê-lo melhor, veja abaixo o assunto que listamos.

Aliás, saiba que é possível usar CobiT e ITIL juntos. Ambos ajudam as empresas a gerenciar a TI a partir de uma perspectiva de negócios e atingir metas de negócios, medição do progresso e assegurar uma eficaz governança de TI.

Desse modo, muitas vezes há confusão se eles fazem a mesma coisa ou se contradizem.

CobiT 5: fatores que indicam problemas na Governança de TI

  1. Frustração do negócio com iniciativas de fracassos;
  2. O aumento dos custos de TI. Embora crível, ele advém;
  3. Uma percepção de baixo valor comercial quanto aos investimentos de TI;
  4. Incidentes relacionados com riscos de TI. Tais como, a perda de dados ou o fracasso do projeto;
  5. Terceirização com problemas de prestação de serviços. Só para ilustrar, a insuficiência em chegar a um acordo sobre os níveis de serviço;
  6. O não cumprimento de exigências regulamentares ou contratuais. Conforme exigência;
  7. Resultados da auditoria regulares. Fato este sobre um pobre desempenho de TI ou o relatado de problemas de qualidade e serviço;
  8. Invisíveis e desonestos gastos com TI;
  9. Duplicação ou sobreposição entre as iniciativas, projetos ou desperdício de recursos. Por exemplo, a implementação dos mesmos aplicativos ao mesmo tempo, como SAP e Oracle EBS;
  10. Insuficiência de recursos de TI;
  11. O pessoal com competências inadequadas ou cansaço e insatisfação pessoal;
  12. A TI deixando de atender às necessidades de negócios ou entregando tarde demais. Além disso, as entregues sendo entregues com estouro de orçamento
  13. Complexo modelos operacionais de TI. E crucial, exemplar com grandes esforços em trazer garantia;
  14. Os membros do conselho, executivos ou gerentes seniores estão relutantes em se envolver com a TI. E também, a falta de patrocinadores comprometidos e/ou satisfeito.

Se acaso ficou alguma dúvida, deixe aqui o seu ponto de vista!

Que logo após, nós, da PMG Academy, vamos te responder o mais breve. Até mais!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *