ISO 20000: o que é o gerenciamento orientado a processo?

Adriano Martins Antonio

Adriano Martins Antonio

em 31 de março de 2015
O que é o gerenciamento orientado à processo

Fique ligado

​Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

ISO 20000: o que é o gerenciamento orientado a processo?

Com base na Norma ISO/IEC 20000, segundo o Champy Hammer, agente por reengenharia de empresas, declara que “um processo de negócio é um conjunto de tarefas, que requer uma ou várias entradas e que cria valor para o cliente”.

Segundo o OGC (Office Government Commerce) descrito nos livros da ITIL v3, é “um conjunto formado de tarefas fadadas a cumprir uma meta específica”.

E por fim, segundo notação que representa uma definição de acordo com a ISO/IEC 9000: “Um processo de negócio é uma coleção de recursos inter-relacionados e tarefas, que transformam entradas em saídas”.

Em outras palavras, esses recursos poderiam ser pessoal, instalações, maquinário, tecnologia e metodologia.

O Gerenciamento orientado a processo

Ele vai exigir mudanças culturais, já que o seu controle implicará em uma alteração na conduta do indivíduo.

Por exemplo: um funcionário que sempre atuou em seu setor, reportando suas atribuições, metas e problemas ao seu gerente. E agora, se tratando de um formato orientado a processo, o seu antigo chefe continuará tendo o seu papel de gestão e liderança.

Porém, deixa de ser o responsável pelo resultado de um processo em vigor. Pois, vamos imaginar neste caso que seja escolhido outra pessoa como o dono do processo de negócio.

Isso não significa que esta pessoa terá outros novos chefes, gerentes, coordenadores e pessoas de níveis hierárquicos menores que o dele.

Mas sim, que o seu atual chefe não será, neste caso, responsável pelo processo como um todo.

Mulher com seus colegas homens no ambiente de trabalho

Novo impacto

Outro impacto intenso nesta mudança de gestão se dá no emprego de novas ferramentas e tecnologia para suportar o controle do processo através de indicadores, métricas, acordos de níveis de serviços, etc.

Além disso, aplicações, como um workflow ou fluxo de trabalho e aprovação, entre outros.

Afinal, se a informação permear muitas áreas por diversos departamentos, domínios e pessoas de níveis e conhecimentos distintos, serão necessários também o uso de mecanismos de compartilhamento.

Isso tudo, sem contar com a transferência e armazenamento dos dados, informações e conhecimentos adquiridos ao longo das atividades do processo.

Decerto, se ganha muito com o gerenciamento voltado a processo, principalmente porque se tem uma visibilidade e previsibilidade dos resultados das tarefas no processo.

No entanto, este novo conceito se adere a um assunto que se trata com cautela. Uma vez que, eles está a fim de se quebrar antigos paradigmas na forma de se gerenciar.

Isto é, em processos, e não apenas em certas áreas ou setores dentro da estrutura hierárquica de uma empresa.

Enfim, nós queremos saber a sua opinião sobre o nosso texto através de um comentário logo aqui abaixo. Pois, é muito legal saber o que pensa.

E se acaso ele tenha sido útil para você, aproveite para mostrá-lo a um amigo ou para a sua equipe de TI. Posto que, temos certeza que fará sentido para alguém.

Mas, se você ficou com alguma dúvida, não hesite em relatar o seu ponto de vista. Que logo após, nós, da PMG Academy, vamos te responder o mais breve.

Então, até mais!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Artigos Relacionados

Artigos
Adriano Martins Antonio

O que é Big Data?

A expressão Big Data não é recente – é possível encontrá-la nos dicionários durante a última década e o seu conceito é ainda mais antigo:

Leia Mais »

Responses

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *