5 formas erradas de aplicação de frameworks no Gerenciamento de TI

Adriano Martins Antonio

Adriano Martins Antonio

em 28 de fevereiro de 2015
5 formas erradas de aplicação de frameworks na TI

Fique ligado

​Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

5 formas erradas de aplicação de frameworks no Gerenciamento de TI

Você já percebeu que os frameworks contém bastante informações valiosas e que podem prover um enorme número de experiências práticas e chances de aprendizagem às empresas, mas na prática nem todas elas conseguem se beneficiar de todas esses dados e experiências.

Fizemos uma seleção com os diferentes tipos de situações que a empresa aplica os diversos tipos de frameworks disponíveis de forma errada. Veja só!

1. Ajustes e sobreposição

Homem usando laptop e fazendo gerenciamento de TI

Frameworks que têm o seu foco em domínios específicos da categoria de gerenciamento de informações e quando não se encaixam, ocorre o que se chama de sobreposição.

Quando aplicamos frameworks em diversos domínios sem fazer uma otimização do sistema, acaba sendo necessária uma coordenação e alinhamento para que tudo funcione corretamente, o que se torna difícil de atingir sem que os frameworks se integrem corretamente.

Veja alguns destes frameworks: A ITIL é focado no gerenciamento de serviços; o BiSL é focado em gerenciamento de informações; o ASL é focado em gerenciamento de aplicações; e a CMMI se concentra no desenvolvimento.

Enquanto isso, o ISPL foca em fornecer gerenciamento. E a ITIL, BiSL e o ASL têm funções e processos similares, o que pode resultar na sobreposição.

2. Integração entre domínios

Alguns frameworks se focam em aspectos específicos de gerenciamento de serviços (ITC) e existe no mercado alguns que frameworks comerciais que conseguem integrar esses domínios.

Mas, como você já sabe, eles se dão disponíveis apenas em versões menores.

E com a crescente especialização em domínios específicos, essa integração entre domínios não recebe a atenção devida.

3. Requisitos de compatibilidade

Algumas empresas se deparam com altos requisitos de compatibilidade. Ou seja, o framework CobiT ajuda as empresas a atenderem esses requisitos de compatibilidade.

Na prática muitas empresas acham difícil lidar com a relação complicada do CobiT com alguns frameworks (ITIL, CMMI ou ISPL).

4. Falta de foco nos negócios

A maioria dos frameworks tende a focar na entrega de processos ou no valor e/ou resultados dos negócios e adotar uma perspectiva comum na área de TI, que vê de dentro pra fora.

Isto tende a dispersar o foco de diversas empresas do que realmente importa que são os clientes e os negócios.

5. Fanatismo

Homem usando laptop concentrado com o gerenciamento de TI

Alguns frameworks desenvolvidos para um domínio de gerenciamento especifico se tornam tão apegados a esses domínios que se tornam quase fanáticos.

O mau uso ou a má aplicação de um framework a um determinado domínio que não se fez devidamente desenvolvido pode causar, de fato, uma perda no foco dos negócios.

E então, você acha que as empresas estão fazendo o melhor uso dos frameworks disponíveis no mercado?

Veja uma lista de cursos online oficiais para certificações em Gestão e Governança de TI.

Dúvidas

Enfim, se você gostou do nosso texto sobre as 5 formas erradas de aplicação de frameworks na gestão de TI, deixe o seu ponto de vista. Pois, nós queremos saber o que pensa.

Aliás, se você conhece um amigo que também gosta deste tema, compartilhe com ele. Em seguida, o chame para debater conosco. Valeu?

Mas, se acaso, você ficou com alguma dúvida, não hesite em nos perguntar. Dessa forma, comente! Que logo após, nós, da PMG Academy, vamos te responder o mais breve. Então, até mais!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Artigos Relacionados

Responses

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *